Balanço dos Atendimentos 2021

I – Aspectos gerais
*Os dados são referentes a clínica social Jung Brasil 2020/2021 em que tivemos o aumento em quase 200% da demanda evidenciando a realidade de uma epidemia em saúde mental. Pela parceria com o Escritório de saúde mental da USP; Dasu UNB pudemos mapear a ampliação dos casos de saúde mental pelo advento da pandemia da Covid19.

Chegamos a ter 400 pessoas na fila de espera (tempo estimado para ser atendido durando 4 meses) no ápice da pandemia em fevereiro 2021 com uma explosão de casos de transtorno de ansiedade, depressão e tendência suicida. Os casos mais graves foram atendidos de imediato. Em novembro de 2021, a fila de espera é de 40 pacientes (duas semanas de espera).

– 101238 Atendimentos em psicologia clínica/ saúde mental, psicoterapia junguiana feitos para toda comunidade – presencial e terapia a distância atendimento pela clínica social para pessoas de todas as idades, raças, credo, classe social, com todo tipo de problema psicológico/ psiquiátrico.

– 90% dos atendimentos feitos no sistema de tele atendimento/psicoterapia a distância – 10% em atendimento presencial

– 60% com gratuidade e 40% contribuição voluntária dos usuários com valores populares clínica/ social

– Cada paciente recebe em média mensal 4 atendimentos em casos mais graves (depressão grave, tendência suicida) 8 atendimentos sendo que esses em caso de maior gravidade o atendimento é feito exclusivamente presencial.

– 10102 atendimentos na escuta interventiva
– 8240 no Grupo de apoio em saúde mental
– 32824 orientações de saúde, aconselhamento em psicoterapia em casos de saúde mental no período da pandemia Covid 19 com 100% de gratuidade
Local: Instituto Olhos da Alma Sã – Goiânia GO

II – Modalidades de atendimento:
A) Clínica social: 80% da demanda atual do Instituto Olhos da alma Sa é para o serviço de clínica social feito pela clínica social Jung Brasil

B) Clínica particular 20% dos atendimentos advém da clínica particular

C) Atendimento presencial 20% dos atendimentos no período da pandemia foram feitos presencialmente seguindo as normativas da área de saúde

D) Atendimento a distância- via remota 80% dos atendimentos durante a pandemia foram feitos via remota. Criamos um curso de capacitação/extensão para atendimento a distância em fevereiro de 2020 e qualificamos toda nossa equipe para o atendimento via remota.

E) Escuta interventiva primeira modalidade de atendimento na qual a queixa inicial clínica é trabalhada na fase confessional da psicoterapia auxiliando pessoas com alta ansiedade que necessitam de uma escuta especializada.

F) Grupo de Apoio em Saúde Mental segunda linha de atuação feita pelo Instituto Olhos da Alma Sã, durante a pandemia e pela alta demanda de casos adaptamos a metodologia presencial para o atendimento via remota em grupo. Em um ano de atividade já fizemos mais de 40 mil atendimentos em dois grupos distintos: o primeiro que atua em casos de ansiedade e depressão e no segundo em casos de enlutados e sobreviventes.

G) Psicoterapia – terceira linha de cuidados após o paciente passar pela escuta interventiva e pelos grupos de apoio ele ingressa na psicoterapia.

III – Estratificação dos usuários:
A) classe social
Classe A 05%
Classe B 2,9 %
Classe C 43% em especial advindos pela recessão econômica
Classe D 32%
Classe E 21 %

B) Gênero:
Homens: 48%
Mulheres: 52%
Comunidade LGBTQIA+: 32%

C) Raça:
Brancos 37%
Pardos:41%
Negros: 29%
Orientais: 16%

D) Religião:
Católicos 31%
Protestante: 14% o grupo com menor aderência aos tratamentos
Espiritas: 26%
Outras: 24%

E) Grupos rede de proteção com atendimento concomitante
Solicitando suporte e tratamento
Familiares 20%
Cônjuge noivo namorado 32%
Filhos 17%

IV – Principais patologias em tratamento
* importante salientar que alguns pacientes apresentam várias patologias em concomitante
A) Estresse e esgotamento: 78%
B) Transtorno de ansiedade: 83%
C) Depressão: 53%
D) Distimia: 21%
E) Dependência química 12%, grupo com baixa aderência ao tratamento
F) Transtorno de pânico 12%
G) Transtorno bipolar 29%
H) Transtornos alimentares 31%
I)) Fobias 42% aumento expressivo durante a pandemia – medo de morrer
J) Tendência suicida 52%
K) Transtornos de sono 62%
L) Esquizofrenia 17%
M) Comportamento desviante desajuste social 43%, aumento no período de isolamento
N) Transtorno obsessivo compulsivo 17%
O) Crises afetivas em grau patológico 39%, aumento dos casos de separação e violência no convívio afetivo
P) Doenças somatomórficas – somatização 52% dores físicas, alegrias, crise respiratória
q) Psicose 20,3%
R) Transtorno boderline 17%
S) Fanatismo 34%, público com baixa aderência ao tratamento, todavia são os que mais causam estrago comprometendo a saúde mental dos que com ele convivem
T) Belle Indiference – alienação 36%
U) Automutilação: 43% em especial em adolescentes e jovens adultos

Balanço dos Atendimentos 2021

– 101238 Atendimentos em psicologia clínica/saúde mental, psicoterapia junguiana feitos para toda comunidade – presencial e terapia a distância atendimento pela clínica social para pessoas de todas as idades, raças, credo, classe social, com todo tipo de problema psicológico/ psiquiátrico.

– 90% dos atendimentos feitos no sistema de tele atendimento/ psicoterapia a distância – 10% em atendimento presencial 60% com gratuidade 40% contribuição voluntária dos usuários com valores populares clínica/social

-10102 atendimentos na escuta interventiva

– 8240 no Grupo de apoio em saúde mental

– 32824 orientações de saúde, aconselhamento em psicoterapia em casos de saúde mental no período da pandemia Covid 19; Local: instituto Olhos da Alma Sã – Goiânia GO

– 593 colaboradores estagiários e profissionais que vivenciam um contínuo processo de estudo e aprimoramento que desenvolvem diariamente o sistema de tele atendimento- atendimento à distância.

– 421 profissionais de saúde parceiros

– Ampliação da parceria com o grupo dos Junguianos de Brasília com a inserção de mais 32 psicoterapeutas.

– Ampliação da parceria com a clínica social do Rio de Janeiro com a entrada de 34 colaboradores

– Expansão da equipe de supervisores agregando 46 supervisores de renome nacional professores, orientadores, analistas, pesquisadores.
– Atuação da clínica social Jung Brasil por todas regiões do Brasil com tele atendimento- psicoterapia a distância;

– 27 Cursos ministrados sendo:
Duas pós-graduações
Pós-Graduação lato sensu de Psicologia Analítica, Imaginário e Prática Clínica.
Pós-Graduação lato sensu de SAÚDE MENTAL de base analítica.

– 2 cursos de formação:
Curso de formação em psicologia clínica de base humanista.
Curso de Formação em Mitologia e Psicodinâmica.

– Em parceria com os Junguianos de Brasília:
Curso prático de psicoterapia junguiana
Curso prático de análise de sonhos – aprofundamento
Curso de psicoterapia online atendimento a distância EAD
Curso o mundo dos sonhos EAD
Curso a escuta na clínica Junguiana
Curso tratamento da depressão
40% dos cursos com gratuidade
30% dos cursos com meia bolsa
Local: Instituto Olhos da Alma Sã

– 96 supervisões e estudos de casos clínicos para profissionais e estagiários vinculados ao instituto Olhos da Alma Sã e a clínica social Jung Brasil garantindo a qualidade dos atendimentos em um sistema de atendimento supervisionado com gratuidade para os colaboradores vinculados; Local: instituto Olhos da Alma Sã Goiânia GO

– Lançamento do filme “Por que você não chora? ” Da cineasta Cibele Amaral nas plataformas digitais e cinemas do Brasil. Filme com consultoria de psicologia da equipe do Instituto Olhos da Alma Sã com mais de 2 milhões e 500 mil expectadores (até novembro 2021).

– 105 debates e palestras
Sendo que 76 feitas por via remota Com gratuidade disponíveis em nosso canal no youtube.

– 32 Participações em rádio, TV e jornais

– execução e organização da campanha Pela Vida – prevenção em saúde mental, setembro amarelo 2021, atingindo mais de 2 milhões de pessoas, 47 artistas e bandas, com 22 entidades participantes e mais de 483 profissionais de saúde integrados.

– 32 lives de artistas nacionais
Local: Brasil
Todas ações com gratuidade

– Obtenção do título de utilidade pública e celebração de parcerias com a prefeitura municipal de Goiânia/Câmara municipal de Goiânia.

Celebração de convênios com:
– Universidade Federal do Paraná UFPR departamento de psicologia;
– Diretoria de atenção à saúde da comunidade universitária corredes Dasu UNB
– Omturex conectando pessoas e idéias Rio de Janeiro;
– Or Avrohom São Paulo;
– Instituto Junguiano de Brasília;
– Centro Universitário Alfredo Nasser UNIFAN;
– Universidade Tuiuti do Paraná;
– FacUnicamps;
– Junta médica do estado de Goiás;
– Secretaria de Direitos Humanos de Goiânia;
– Secretaria de cultura de Goiânia;
– Vereador Willian Veloso;
– Escritório de saúde mental da USP
– Continuação das parcerias por meio de convênios celebrados:
– Exército Brasileiro para suporte psicológico das equipes de ação e egressos;
– Conselhos estaduais de educação física;
– Conselhos estaduais de corretores de imóveis;
– Sindicato dos professores de Brasília;
– Sindicato dos membros do Tribunal do trabalho TRT GO;
– Clínica social Jung Brasil;
– Junguianos de Brasília;
– Clínica social de Brasília;
– Clínica social do Rio de Janeiro;
– CVV- Centro de Valorização da vida ligue 188;
– Lotus psicologia;
– Faculdade Serra da Mesa FASEM;
– Suporte psicológico para 140 crianças da guarda mirim de aparecida de Goiânia, com gratuidade; Local: guarda municipal de Aparecida de Goiânia – GO

– Um processo seletivo de novos estagiários para o curso de formação em psicologia clínica de base humanista. 4 bolsas com gratuidade e 8 com valor de meia bolsa; Local: Instituto Olhos da Alma Sã

– Em 2021 tivemos um aumento de 230% no número de inscritos para o atendimento em nossa clínica social dados especificados em documento anexo.

Bilhões de sorrisos e abraços por que levamos ao mundo consciência e equilíbrio, identidade e força para viver independente de idade, raça, orientação sexual, credo, classe social.

Somos uma organização não governamental independente, sem fins econômicos que atua na formação de novos profissionais e no atendimento de pessoas que necessitam em especial de tratamentos na área de saúde menta

O poder do humor

Para que rimar amor com dor? Mora na filosofia já cantou Caetano Veloso…onde está sua alegria? Você tem bom humor? Sabe dar risada? Tem espontaneidade?
É crivo diagnóstico na atualidade, na constatação da saúde mental, a observação da alegria, leveza, suavidade de um indivíduo. Tem equilíbrio mental quem sabe dar risada, tem e mantem sua alegria mesmo nas adversidades da vida. Quem tem humor e o sabe apreciar tem ampla capacidade de lidar com o simbólico, com as metáforas e abstrações do inconsciente, lida melhor com resolução de problemas, torna ambientes mais agradáveis.

Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino, Nelson Rodrigues, João Bosco e Aldir Blanc, Chico Buarque de Holanda, Vinícius de Moraes, , e vários outros grandes nomes das artes, poesia, literatura tem vertente humorística, se enveredando no humor por vezes ácido como crítica social. Dom Quixote de Cervantes é o livro mais lido na história da humanidade, um deboche, uma comedia que ironicamente criticava a era feudal de uma forma genial.

Todavia hoje em dia várias pessoas criticam o humor, a alegria, o deboche querendo uma vida politicamente correta. Vários críticos do humor estão dominados pela Persona que está rígida, não tem leveza, suavidade. Vi vários críticos de humor vivendo de caras e bocas, com ar de gente séria, ao estilo do fariseu, delegando tratados e mais tratados de seriedade, e com isso adoecendo irremediavelmente, em um empobrecimento psíquico traduzido por uma rigidez patológica. Particularmente evito gente séria… são os que me dão tédio… aprecio quem sabe rir, quem tem suavidade e leveza e alma livre…
Humor exige inteligência para sua compreensão, coisa que na atualidade nem todo tem. Em especial pelo analfabetismo funcional vigente no qual a capacidade de leitura e compreensão das narrativas está comprometida.

Pessoas extremamente adoecidas psiquicamente não dão risada. Já atendi mais de 15 mil pacientes com depressão e quase todos tinham essa característica, haviam perdido sua capacidade de rir. E a risada tem um componente mágico na elaboração dos problemas. Adoro rir das bobagens que fiz e faço e com alegria é possível ir resolvendo os problemas diários de uma forma mais tranquila.

Infelizmente na área de saúde ocorre o congelamento da alegria, e vários profissionais aprendem que tem de ter cara séria, a ser frios, a não brincar. Um problema psicológico que vai custar caro. Congelando a espontaneidade, amplia se a neurose, o ego inflaciona e várias doenças mentais ampliam. Não é à toa que casos de transtorno de ansiedade, depressão e suicídio ocorrem em maior número entre profissionais de saúde A falta de espontaneidade compromete a aliança terapêutica a relação médico paciente. Mas por qual motivo não é permitido ao profissional de saúde ser espontâneo? No que isso colaborou nos últimos anos com a crise de falta de empatia na área de saúde? Cansei de ouvir pacientes reclamarem de profissionais frios sem empatia, sem alegria, sem humanidade. Tais profissionais não vão ter pacientes que vão os evitar…para que conviver ou pagar os serviços de alguém frio, com cara fechada, azedo?

Gosto de lembrar que quem tem cara amarrada está com problema psicológico.
Ao ler a biografia dos grandes criadores das abordagens na psicologia podemos notar que Freud foi um debochado, dando a devida importância ao humor nos chistes descritos na psicopatologia da vida cotidiana- obra em que inaugura a psicanálise; Jung era conhecido por seus jantares divertidos; Moreno pelas brincadeiras na praça, … o humor é necessário a vida. Lamentavelmente os seguidores de várias destas abordagens perderam sua alegria, tornando se rígidos, críticos demais, chatos, adoecendo psiquicamente. Por que? O que se ganha com isso?

Para manter o equilíbrio mental na dificuldade diária é necessário viver o lado positivo do arquétipo da criança. Cultivar a alegria e a espontaneidade. Evitar pessoas críticas especialistas em censurar a alegria alheia afim de justificar sua neurose. Cultive sua inteligência dedicando se ao humor…

Jorge Antônio Monteiro de Lima
www.almabr.com.br

Era das transformações resquícios da pandemia

Era das transformações resquícios da pandemia
É interessante ficar esperto e ter cuidado. Embora os números da pandemia da covid19 tenham diminuído, os efeitos e consequências da pandemia ainda não terminaram. Na mudança do paradigma do planeta já descritos por Harari, Bauman, Maffesoli ainda temos a observação da psique coletiva apontando que o cenário é de extrema tensão Mudanças drásticas estão ocorrendo e ainda vão perdurar.
Nos próximos anos vamos ter de lidar com a crise econômica desgovernada ; o desemprego crescente ; com a péssima distribuição de renda; fome; subemprego e precariedade do trabalho; falta de comida pela crise climática; racionamento de água e energia elétrica; desvalorização da moeda; instabilidade da ideologia na política; decadência da instituição religião com a perda de sua função social; crise na instituição família; péssima representatividade política- composta por indivíduos egoístas e alienados da realidade atual; e por fim todos vamos ter de lidar com nossa saúde mental revendo o caminho de nossa individuação no meio da bagunça que não vai ser pouca. Pelo menos mais cinco anos de crise institucional com a transparência mostrando que não adianta o lobo vestir pele de cordeiro enquanto o telhado desaba.
O sonho de milhares de pessoas mostra nos que ocorre todo um cenário de confusão psíquica e afetiva; mostram que a crise está comprometendo a saúde mental das pessoas, com muitos pesadelos, sujeira- esgoto a vista- , pancadaria e a percepção de desajuste e não pertencimento. O desajuste do mundo gerando o desajuste do indivíduo que está sem lugar, alijado de si mesmo.
O efeito pós pandemia no mundo em desequilíbrio nos mostra que o desequilíbrio mental será continuo, em especial por que estamos em uma economia em ruinas. Sabemos que em decorrência da crise econômica ocorre o aumento dos casos de ansiedade, depressão, instabilidade emocional, crises afetivas, cenário em que as condições básicas de sobrevivência são arruinadas pela falência das estruturas. No caos o sofrimento é ampliado e o vale tudo se instala… pessoas em raiva ampliam seu ódio até explodirem ou implodirem. É melhor não ficar perto de quem não quer ter equilíbrio. E o mais impressionante de todo esse cenário é a alienação da classe política…
E o pior dos embates nos próximos anos é com o fanatismo ideológico, político, religioso. A psicose que se alastrou via analfabetismo funcional, que gerou milhares de pessoas sem a menor consciência crítica ou visão de realidade. Fanático que não escuta ninguém, não aprende, não tem capacidade de percepção para compreender a realidade do mundo. Fanático que já está enlouquecido transformando o tecido social a sua volta em um pano roto de chão compromete seu trabalho, vínculos de convívio, amizades e transforma a vida familiar em uma eterna guerra por que o que ele acredita está acima da opinião alheia. O fanático que é um paciente psiquiátrico não tratado vota, emite sua opinião sobre religião e política e apedreja qualquer um que ouse dele discordar. E temos mais de 30% da população brasileira fanatizada pela religião e pela política. Nos próximos anos esse fanático por seu ódio advindo do pecado mortal da idolatria terminará de enlouquecer… e vamos ver o que vai sobrar a sua volta. Família arruinada, desemprego ou negócios com lucro comprometido, limitações severas na socialização e muitos problemas judiciais.
Ainda dentro do aspecto da psicose e do fanatismo teremos de lidar com o problema do conservadorismo que pretende de forma tola que o mundo pare suas transformações. O fanático que se diz conservador vive de passado e não está consciente do que o circunda, das mudanças do tempo, vive alienado preso a seu reduto e ideais que distorcem as mudanças do mundo e a realidade. Querem que sua oratória mude a economia, o desemprego a fome…
E tudo isso virou demanda psicológica… Trabalho que não vai faltar nas próximas décadas…
Ainda infelizmente vamos ver muita gente enlouquecendo brigando tentando ser o arauto da verdade absoluta.
Por isso não é hora de relaxar, é hora de rever conceitos, aceitar mudanças do mundo em transição e se preparar por que problemas vamos ter de sobra.
Jorge Antônio Monteiro de Lima
www.almabr.com.br

“Deixai que os mortos enterrem seus mortos”

“Deixai que os mortos enterrem seus mortos”. A data de finados me faz refletir o que é estar vivo e quem está vivo? Existem tantos zumbis pessoas que jamais encarnaram e que estão aí vivendo de instintos, no vazio da vida sem sentido. Pessoas que jamais vão compreender o sentido da alma, da intensidade, do grito do espírito. Mas o tema é o fim…
Um dia temos de parar e encarar a finitude. Bater um papo com os mortos, cantar nossa genealogia, revirar a memória e lembrar dos que se foram Quantas vezes você não é atropelado pelo passado? Como lida com suas memórias?
Um dia somos conduzidos a olhar para traz e ver que tudo passa. Familiares, amigos, amores…e na cultura que vivemos de apego e consumismo isso se torna o caos. Caos por que temos a ilusão de propriedade da vida, do outro, posse. Meu amor… e nada é nosso, tudo é emprestado e passageiro, e na cultura da era industrial deixamos essa noção da vida real de fora da realidade. Mas a vida é justa e não muda pelos modismos… e eis que temos de encarar que quem curtimos se vai… nos deixa… O outro não é nosso, nunca foi… mas por que nutrimos essa ilusão?
Eu sou um eterno saudosista enterrei amigos queridos, familiares, paixões, colegas. A cada década que vivi iam embora pelo menos quatro ou cinco…
A cada dez anos que vivemos desaparece uma geração acima de nós ao conviver com pessoas da terceira idade, notei que um de seus maiores dramas é a solidão, em especial por que as pessoas com quem se convivia não estão mais aqui… A dor de dizer adeus é cruel…
O ensinamento do México e Japão de ver a morte como uma festa aqui é evocado. Gosto de lembrar dos meus mortos, pelo que gostavam de fazer em vida. Para eles dedico minhas lembranças, realizações, honro sua história, seu nome, seus feitos com alegria. O suspiro da mãe, a seresta do padrinho, a música do Bowie… e nessa aventura da memória vou relembrando dos momentos da existência, da minha história, quem eu sou e o que vim fazer aqui na terra.
Deixo no ar dois ensinamentos: viva sua vida com intensidade não seja um zumbi sem alma, sem vitalidade; honre seus mortos e faça valer o nome que carrega, seus antepassados, sua história e trajetória. Carpe diem – faça a vida valer a pena…
Jorge Antônio Monteiro de Lima
www.almabr.com.br

Como você tem lidado com sua transparência?

Como você tem lidado com sua transparência? Tem sido coerente consigo próprio? Tem espontaneidade e liberdade para ser o que sua essência delimita?
Transparência é um dos principais paradigmas da pós modernidade. Advém da cultura da internet em que ocorre uma maior visibilidade. Querendo ou não a cena da vida vira palco e todos somos intimados a viver a transparência. A forte mobilização pela tecnologia, em especial as redes sociais, tornaram os muros em janelas, sem cortina, em uma avenida movimentada. A expressão da antropologia “o rei está nu” hoje é um símbolo que representa nossa realidade social. Todos o veem nu, mas ele próprio jura que está vestido, em pleno delírio. Mas você quer se esconder? Quer fugir de você mesmo?
Há mais de 10 anos discorro sobre essa mudança de paradigma. Ela é complicada para pessoas tímidas; para introvertidos; para pessoas perdidas- que não sabem quem são-; para quem tem problema de persona; , vivendo o desajuste social. O conflito com a transparência é uma característica da neurose da pós modernidade. Como viver em sociedade, se mostrar, ter expressão e espontaneidade no cenário da alta visibilidade?
O tímido, reservado e as pessoas com característica da atitude introvertida tendem a entrar em tensão nervosa por sentirem se expostos, vigiados. O vizinho subiu no muro para expiar sua vida intima…e esse cenário reforça ao mesmo tempo as idéias paranoides, a persecutoriedade, o medo de ser visto. Como não querer se expor? Como fugir da mudança da vida?
A transparência, todavia, tem um aspecto extremamente positivo- ela impõe ao indivíduo, ao grupo, ao governo a sinceridade. Exige que você mostre como você é. Denuncia a falsidade, o fingimento, o comportamento de “duas caras”. Rapidamente o desonesto e o incompetente são desmascarados…por que na transparência as notícias e fatos correm… não adianta pôr a culpa na imprensa, nos vizinhos da rua, nos colegas da escola… todos estão a ver quem você é, mas você tem consciência de sua identidade e ego tem se trabalhado para ser espontâneo e livre?
Essa mudança de paradigma está na economia, nos investimentos públicos e privados, , nas regras de mercado para investidores, , nas normas atuais de gestão e governança. enfim da economia a vida cotidiana. Governo que não é transparente não consegue investimentos, falta de transparência afasta negócios. E na era da transparência oratória funciona parcialmente por que a realidade se impõe ao discurso. A vida mostra outra coisa. E a Sombra rebola na sala sem medo de ser vista em roupa íntima…
Independentemente de sua atitude psíquica extrovertida ou introvertida, temos de nos adaptar a esse mundo transparente. Trabalhar os próprios defeitos, buscar espontaneidade e coerência para sobreviver a tensão de estar nu diante de todos… sem medo de ser feliz!
Jorge Antônio Monteiro de Lima
www.almabr.com.br

A crise social de falta de empatia.

A crise social de falta de empatia inicia dentro de casa no núcleo familiar. Quando dentro de casa, no convívio, familiares são estranhos, um não se importa com o outro, ou ainda pior, quando os genitores cuidam de afastar os membros de sua própria família, tornando o convívio em algo perverso.

Na prática da psicoterapia não é raro lidar com famílias disfuncionais, nas quais não existe união, convívio sadio, troca, ou se importar com o outro.

No relacionamento de teor pervertido e egoísta o que importa é a vontade própria, me escute e se cale, o que você pensa ou faz não importa. Isso desconstrói os vínculos paulatinamente, até que nesse núcleo nada mais exista. Um quadro que piora quando se soma a essa prática de silenciamento a agressividade ou o menosprezo.

Todo esse cenário descrito acima fomenta o “Complexo de abandono”, um dos mais difíceis de tratar em uma psicoterapia. Dificuldade que existe por toda uma desconstrução de vivência de afetividade sadia, quem tem ativado o complexo de abandono tende a entrar em relacionamentos abusivos e tóxicos, em especial por não saber delimitar a funcionalidade do carinho. É imperioso que quem tem o complexo de abandono que faça uma psicoterapia com profundidade, a fim de elaborar sua afetividade, aprender a se amar, a por limites e a se reconstruir, apesar de sua família.

Muitas pessoas da atualidade aprendem a ser frias, egoístas, a não se importar com os outros por que isso é prática comum em sua própria casa. Piora esse quadro se a vivência ainda é sádica. Muitos que vivem o descaso o reproduzem, às vezes, o potencializando, e tudo isso é altamente comprometedor na qualidade de vida e no crescimento espiritual de um indivíduo. Toda frieza deve ser questionada…

O AMOR

O que você tem feito pelo seu amor? Como tem cuidado de quem está a seu lado? É companheiro dando força para o que ele gosta e faz? Se interessa por ele? Tem prazer de dividir e estar junto de suas conquistas e planos?
A solidão e a dificuldade de relacionamento são uma das maiores queixas que escutamos na prática da psicoterapia. Somos uma sociedade carente e ao mesmo tempo iludida em ser auto- suficiente. Cansei de ver como analista pessoas ditas imponderadas, ao mesmo tempo vazias de relacionamentos por causa de orgulho e vaidade. Também vi tragicamente pessoas em relacionamento competitivo- de cabo de guerra, dando coice no lugar de beijo, indiferente ao carinho de quem está ao lado minando em auto boicote um relacionamento. Lembro aqui que durante todo período da pandemia da covid19 o número de divórcios e fim de relacionamentos cresceu mais de 60%, lotando as varas de família. Vias de fato entre casais aumentaram 48%- dados obtidos junto ao judiciário do estado de Goiás e a secretaria de segurança pública. O amor virou distancia, indiferença e raiva? É assim que você tem cuidado do seu amor?
Para amar é preciso se conhecer, saber do que gosta, ter metas de vida, compreensão dos próprios afetos, ego fortalecido e identidade. Não foi à toa que C. G. Jung coloca no casamento uma prova para a Individuação- no último capítulo de sua obra O desenvolvimento da personalidade. Estar junto a alguém é luta diária, cansa, dificuldades vão ser recorrentes, mas se existir amor, se cultivar o tesão e o carinho o relacionamento perdura. Todavia muitas pessoas não sabem do que gostam, vivem instintivamente jogadas pelo destino, não aprenderam a se relacionar por profundas falhas em sua afetividade, mas por que não fizeram uma psicoterapia para estruturar sua afetividade e forma de relacionamento?
Várias pessoas sequer têm educação, não sabem receber outra pessoa, abraçar, beijar, sorrir quando o outro chega. Ao contrário hoje ser frio virou moda, no lugar da recepção amigável, uma cara de nada…”não me atrapalhe que estou vendo minha série no computador O ”… Toque fica sem graça, a cama fria, o afeto vira carência e o fim se avizinha. Piora todo este cenário quando a agressividade fica naturalizada, os elogios se transformam em ofensas ou no desmerecimento do outro. E o diálogo? Esse foi assassinado na rotina…não há tempo para falar, menos ainda para ouvir quem você diz que ama…o vídeo do tictoc é mais interessante…a carência toma conta e com isso uma certa mágoa: por que não mereço ser bem cuidado? Da carência a se interessar por outra pessoa fácil na falta o instinto vai procurar outro que lhe dê atenção, conversa, carinho e o mínimo de companheirismo, e isso não tem gênero ou orientação sexual. Bauman já nos mostrou que o amor se transformou em algo líquido nos pós modernidade, e isso deu- se pela precariedade da educação, da escuta do outro, da instabilidade da afetividade, orgulho e vaidade, e uma ilusão de que não é necessário cuidar diariamente do outro. Quando o relacionamento termina a pessoa ainda diz para todos: não sei o que eu fiz de errado, o outro é que foi vagabundo e me traiu…projetando a culpa fora das próprias falhas que cometeu…
Questione o que você tem feito pelo seu amor. Como tem cuidado de quem está perto. De atenção para quem diz amar antes de o deixar carente. O elogie e o ajude. Cuidando d quem está perto você está cuidando de você…
Jorge Antônio Monteiro de Lima
www.almabr.com.br

O impacto da pandemia COVID-19 na área de saúde mental.

Dados da área de saúde mental 2021
– O impacto da pandemia da Covid 19 na área de saúde mental –

Por Jorge Antônio Monteiro de Lima
www.almabr.com.br

Qual tem sido o impacto na área de saúde mental a partir da pandemia da Covid 19? Existe um aumento significativo de casos de transtorno de ansiedade, depressão, tendência suicida? Em 2017/ 2018 já era notório que ocorria uma explosão de casos de suicídio o que culmina na criação do chamado Setembro Amarelo. Em 2018/2019 ocorre um aumento significativo de casos de suicídio entre crianças, adolescentes e jovens adultos que também vivenciam a automutilação, e isto traz um profundo impacto em toda área de saúde, na psicologia hospitalar e clínica, nos serviços de psiquiatria e pronto socorro.

Em 2018 o Instituto Olhos da Alma Sã em parceria com outras 14 entidades cria a campanha Pela vida- setembro amarelo, em parceria com o CVV, Ministério Público Federal, Ministério público do trabalho, Exército Brasileiro, sindicatos e conselhos de classe, universidades e neste período todas entidades parceiras estavam extremamente preocupadas com o aumento significativo dos casos de suicídio na sociedade. Também a classe artística abraça a campanha Pela Vida reunindo 98 artistas e bandas e neste sentido foi promovido 18 festivais de artes e música com campanha de conscientização, 54 debates e palestras na região centro oeste, o que foi mostrando a realidade da sociedade neste período, o grau de adoecimento coletivo.

Infelizmente no Brasil as estatísticas na área de saúde são negligenciadas. Existe uma cultura do estado Brasileiro de subnotificação, na qual milhares de casos são omitidos. A pandemia da covid19 deixa isto evidente, a proporção que o próprio governo – ministério da saúde- retira do ar o sistema de contagem do número de casos- contaminados e óbitos. Isto é pratica rotineira do estado brasileiro, em casos de dengue, microcefalia, doenças tropicais, na área de saúde mental. Todavia embora não existam dados oficiais confiáveis, no trabalho em rede é possível mapear o tamanho da pandemia de saúde mental na qual toda sociedade está imersa.
A primeira fonte de dados é o CVV- Centro de Valorização da vida. Hoje no Brasil existem mais de 3500 mil voluntários que prestam um importante serviço de atenção primária em saúde na prevenção do suicídio. Em 2018/2019 já era perceptível no CVV que a demanda havia dobrado. O serviço que não tinha fila de espera para atendimento, começava a ter fila de espera de 15 minutos a 20 minutos. Em 2020/2021 a fila de espera por vezes chega a duas horas. O número de voluntários neste importante serviço não dá conta de cobrir a demanda que aumenta em 40% ao ano. Durante toda campanha Pela Vida convidamos a comunidade a se inscrever como voluntários para o CVV- indicamos a estudantes de psicologia que passem um ano como voluntários no CVV. Em resumo a primeira fonte de dados o CVV mostra um aumento dos casos de angustia, ansiedade, depressão e tendência suicida com aumento em progressão geométrica.

Outras duas fontes de dados vieram de universidades que prestam o mesmo serviço de saúde mental parceiras do Instituto Olhos da Alma e da clínica social Jung Brasil Sã. A USP com o escritório de saúde mental; e a UNB com a DASU. Ambas universidades anunciam uma dificuldade com o aumento claro de casos de tendência suicida entre alunos, colaboradores, professores e nos casos de atendimento a comunidade. Todos serviços de atendimento em saúde mental ficam lotados em 2018 – 2021 o que faz com que tais instituições busquem parcerias e atuar em rede com outras instituições afim de dar vazão a demanda, por isto a parceria com o Instituto Olhos da Alma Sã e com a clínica social Jung Brasil.

A terceira fonte de dados vem dos serviços de pronto socorro, CAPS, hospitais na qual vários médicos colaboradores atuam. Todos os serviços de saúde mental entre 2020/ 2021 ficam lotados. Fila de espera nos CAPS. Faltam profissionais, treinamento, gestão pública da demanda, profissionais adoecidos, sobrecarregados, alguns adoecendo por covid19. Ninguém estava preparado para lidar com uma epidemia de casos de saúde mental. Na clínica médica em pronto socorro o número de pacientes em crise de ansiedade, pânico, depressão vira rotina para qualquer médico com quatro ou cinco casos diários. O luto com melancolia, depressão vira uma rotina diária para equipes de enfermagem, médicos, servidores.

A quarta fonte de dados sobre a epidemia de casos de saúde mental vem da junta médica do estado de Goiás, responsável pela licença médica e afastamento de servidores. Entre 2020- 2021 anunciam que mais de 7 mil servidores da área da educação, 5 mil da área de saúde, e 4 mil servidores da área de segurança pública pediram afastamento. Destes afastamentos 70% foram casos vinculados a área de saúde mental.

A quinta fonte de dados vem da clínica social Jung Brasil que em 2021 tem mais de 600 colaboradores em todo território nacional, 45 supervisores de renome nacional e em sua boa parte atuantes na área de saúde. Em 2020 a clínica social desenvolve 70 mil atendimentos. Em 2021 até julho são realizados 73 mil atendimentos. O triplo da demanda esperada em apenas um semestre.

Com a pandemia da Covid 19 ocorre o aumento claro dos casos de saúde mental que já tinham característica de epidemia. A precariedade da socialização, a dificuldade dos afetos, lidar com a morte, desemprego, rompimento da ideologia, caos na religião e dificuldades adaptativas em um mundo em transformação geraram um quadro que raros estudos ou profissionais esperavam. A resposta social também aparece quando o curso superior de psicologia torna se o segundo mais concorrido em todas universidades federais. Uma demanda gigantesca social para profissões vinculadas a saúde.

Lamentavelmente no Brasil vivemos toda uma estrutura “negacionista” que se alastrou no meio acadêmico, na área de saúde, na política e religião. Mais que os dados citados bastam olhar para sua família, amigos e conhecidos para se perceber que existem casos de sofrimento mental a nossa volta. Ainda existe muitos mitos, preconceito, falsas notícias circulando sobre doenças mentais. Várias doenças têm tratamento e cura. Por tal evolução no número de pacientes o Instituto Olhos da Alma Sã e seus parceiros revolvem ampliar e antecipar o setembro amarelo 2021, iniciando a campanha em março com vários eventos, discutindo a prevenção em saúde mental. Todos podemos e devemos fazer algo pela vida!

Parcerias:
Clínica social Jung Brasil.
Clínica social de Brasília.
Clínica social do Rio de Janeiro.
Junguianos de Brasília.
CVV- Centro de Valorização da vida ligue 188.
Lottus Psicologia.
Or Avrohom.
Instituto Junguiano de Brasília.
Faculdade Serra da Mesa FASEM.
Centro educacional Alfredo Nasser. UNIFAN.
Faccamps.
Secretaria municipal de direitos humanos de Goiânia.
Universidade Federal do Paraná – UFPR.
Diretoria de atenção à saúde da comunidade universitária – UNB.
Escritório de saúde mental da USP.

O canto da sereia na era digital.

Algumas reflexões sobre marketing e a cultura.

Ulisses em sua odisseia um dia foi tentado pelas vozes que hipnotizavam. O canto da sereia está em nossa instantaneidade, na urgência , no discurso o vazio de sucesso, empreendedorismo, liderança na falácia do coashing. Tenho visto vários colegas, ex- alunos, profissionais de saúde fazendo muita merda na era do digital, bancando o idiota em rede social, reproduzindo velharias sem resultado algum para suas carreiras, gastando muito para se transformarem em mais do mesmo. Gosto das redes sociais e periodicamente dou minhas voltas para ver o que o pessoal posta e fico triste com tanta gente vazia, desinteressante, produto de social mídia, com postagens entediantes de senso comum. Não mudam nem a música para rebolar.

O mercado e nossa cultura está imerso na transparência com alta visibilidade- ditados pelo espírito do tempo. Estamos todos expostos e conduzidos inconscientemente a estar nesta teia de visibilidade para pertencer a cultura e a nosso tempo. Lapidamos nossa Persona nesta dinamica. Todavia existe toda uma estrutura para a qual devemos dar atenção diferenciando vida pública da vida privada, no teor do que fazemos e postamos, na condução da comunicação com conteúdo.

A comunicação exige identidade. Não dá para ser alguém copiando os outros, mostrando se imbecil e vazio, nem reproduzindo frases prontas desgastadas, sem as contextualizar com a vida atual. Nas mídias faça citações, mostre sua cultura, o que estuda, autores que tem lido mas correlacione isto com a realidade, com o que vivemos, com o dia a dia. Mostre sua capacidade de dialogar com os autores , costure teorias e pensamentos. Dentro deste aspecto mostre quem você é, o que pensa, deixe para a sociedade menos críticas proponha. Voce pode brincar, contar piadas, ser divertido mas tenha alma, essência mostrando que ai dentro de você existe alguém que pensa .

Não adianta gastar bilhões com publicidade, marketing, social media, ter milhões de seguidores, e gastar muito com produção de fotos e poses. As pessoas procuram você por que você é da área de saúde, por que tem conteúdo, por que pode as auxiliar em seu sofrimento, por que tem bagagem teórica e prática. Neste campo tenho visto colegas se portando como modelos, fazendo alto investimento em fotos e afins, todavia sem resultado. A embalagem pode ser bonita mas o conteúdo deve ser coerente com a embalagem. Neste aspecto a estrutura narcísica de nosso tempo é pecaminosa e a Sereia tem uma linda voz. Vi outro dia uma colega bela que se afundou neste processo fazendo lives ridículas, sem conteúdo, com pessoas chatas e o resultado caótico, a bela tosqueira vazia de sempre, na qual a pobre colega não pega nem resfriado, menos ainda pacientes ou clientes. A apresentação da colega trouxe o sentimento de tédio de vazio de superficialidade o que na área da saúde é catastrófico.

No campo da saúde mental, da psicologia temos milhares de assuntos de relevância para explorar. Podemos discutir o comportamento, hábitos sociais, modismos , a as tradições na sociedade, os complexos culturais, sexualidade, os relacionamentos. O campo de produção é infinito.

Todavia colegas tem discutido qual tema nas redes? Vejo frases prontas do marqueteiro, já usadas com outros 70 colegas. Isto é muito ruim por que não chama a atenção, não ajuda a sociedade, não tem relevância social alguma e o vazio não constrói carreira. Assim ao se comunicar mostre conteúdo, inove, seja criativo, ouse. É preferível você ter apenas 2 mil seguidores com conteúdo que dez milhões de alienados, mostrando se mais um cego guiando outros cegos.

Este conteúdo você o conquista estudando, fazendo uma formação em uma abordagem séria, em um tripé de formação- estudo teórico, supervisão e sua própria psicoterapia- ainda estando atento as notícias e as transformações do mundo que na atualidade são gritantes. Apreendendo uma abordagem a atualize.

O Instituto Olhos da Alma sã se tornou uma referência nacional na área de saúde mental por isso. Adaptamos a teoria para nossa realidade, temos uma equipe que recicla periodicamente em pós graduações, cursos de formação, cursos de extensão, debates e seminários. Hoje somos fonte para outros profissionais de saúde, o cinema, cultura, jornalismo. Estamos muito atentos a tudo que vem ocorrendo no mundo e pensando nestas coisas a partir da abordagem que seguimos. Produzimos muito conteúdo semanalmente.

Em outro campo brincamos, nos divertimos, fazemos palhaçadas, descontraímos, e tudo isto torna o ambiente de trabalho e comunicativo mais suave e saudável. Isto tem a função clara de humanizar os processos e as vivencias. Isto nos aproxima das pessoas que também não estão afim de caras sérias e de gente chata. E tudo isto é feito com muito conteúdo, com relevância social, atualizado.

Na atualidade existem milhares de empresas, de marqueteiros digitais que lhe prometem milagres. Você até pode contratar alguém para lhe auxiliar mas antes deverá lapidar sua identidade, ter conteúdo sua capacidade. Pelo amor de Deus não banque o idiota nas redes sociais, não seja vazio, nem tenha cara de margarina vencida . Mostre ao mundo sua alma, sua beleza interior, sua bagagem teórica e pratica.

Me permito compartilhar com vocês minha trajetória nestes mais de 35 anos com os quais estou envolvido com comunicação. Se hoje o Instituto Olhos da Alma Sã é referência na área de saúde mental no Brasil e exterior, isto mostra que o que temos feito se deve ao empenho de toda nossa equipe, as estratégias de gestão da diretoria, e a todo conteúdo produzido por nós. Seguimos a risca tudo que discorri acima. Construa sua carreira sem bancar o tolo ou a anta nas redes. Se mostre com qualidade o mundo precisa de pessoas que façam a diferença.